domingo, 30 de maio de 2010

Voltar no tempo...


Naquele momento parei,
Tudo ao meu redor também parou,
Em meio à multidão me senti só...

Parei,
Parei e tudo o que desejei foi
A habilidade de voltar no tempo...

Não precisaria muito
Voltar alguns minutos apenas,
Seria o suficiente...

Sem dúvidas o bastante para mudar,
Apagar erros,
Enxugar futuras lágrimas...

Trocá-las por sorrisos,
Erros por sonhos,
Remorsos por alegrias...

Contra o tempo somos fracos,
Contra os erros somos passivos,
Nos resta receber os momentos como saudade...

Assim aprendemos a viver,
A valorizar o ser,
E a ter a vida como a mais bela dádiva!

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Um Anjo


Forte como pimenta,
contemplar sua graciosidade
basta para nos meros mortais

Não é ela que cheira as rosas,
mas as rosas que a cheiram
e liberam aroma e cor possantes como diamantes

Sem ligar se vão notar, ela dança
com alma de criança
trazendo paz e esperança

Descobre-se a beleza ao vê-la,
a perfeição ao encontrá-la,
toca-se a pureza ao olhar dentro dos seus olhos

Carisma transborda do seu rosto,
graça da sua boca,
magia do seu sorriso

Ela é simples, majestosamente simples
o poder de transformar dor em flor,
prantos em risos, está em suas mãos

Meiga, carinhosa, simpática, engraçada...
eu poderia ficar horas citando sua qualidades,
mas nunca expressaria como és encantada

Os deuses iluminados a fizeram bela
e se arrependeram, pois viram
que em luz eram inferiores a ela

Nem nos dias mais inspirados
imagina-se criatura tão divina,
sua face traz luz à rima

Se estou sonhando não sei,
mas que tenho um privilegio isso sei,
pois um anjo aqui encontrei.


-------------------------------------------------------------------------------------


Poema dedicado a Paula Pimenta, uma criatura tão especial que merece ser eternizada.
Em 10 estrófes pois você é muito 10! Com carinho, Moisés Prado.