domingo, 8 de março de 2009

“Cartas Marcadas”


Talvez o maior problema da política no Brasil é a falta de renovação. A nossa Constituição “faz de tudo” para que isso não ocorra, impedindo terceiro mandato consecutivo e outras coisas mais. Contudo não é suficiente. O que vemos é uma grande troca de favores, jogadas de mídia, nepotismo, manobras e mudanças de cargos; sejam eles eleitos pelo povo ou não, sempre os mesmos estão no “poder”, as mesmas figurinhas, são como “cartas marcadas” em um baralho, só trocam de lugar.
Fernando Collor de Melo, novo Presidente da Comissão de Infra-estrutura. Collor mais uma vez num cargo de grande responsabilidade e poder. Este é mais um dos vários exemplos que podemos citar para justificar o que disse.
Não devemos prejulgar, condenar alguém pelo passado, diz a ética; salvo quando se trata de política, afinal é o único meio de referência que a população dispõe para eleger seus representantes. Collor e poder, mistura perigosa! O orçamento do PAC está em Alerta!
Não desejo mal ao Collor, pelo contrário, desejo que ele mostre que amadureceu. Porem não concordo com a forma que ele chegou ao poder.
Este está longe de ser um caso isolado, vemos esse tipo de situação o tempo todo, políticos que não se explicaram, corruptos, inescrupulosos, e assim que a “poeira abaixa” lá estão eles de volta, indicados para serem Secretários, Ministros, e por ai vai... Em seguida, a memória do povo, que é curta, já apagou, e logo são eleitos para cargos de grandiosa responsabilidade política.
Precisamos de gente nova e compromissada, sobretudo; assim podemos fazer uma mescla com os políticos experientes que lá estão (a parte honesta e correta, claro!). Esse é nosso dever ao votar.
Precisamos de Renovo já!

segunda-feira, 2 de março de 2009

Robôs ou Humanos?


Hoje assisti uma reportagem no Jornal Hoje da Globo, fato que me fez escrever este texto. Na verdade foi uma reportagem simples e superficial, contudo podemos ver claramente como os conceitos estão deturpados. A reportagem falava sobre etiqueta no trabalho.
Temas como “boa aparência”, “formas de se portar”, “como vestir adequadamente” e outras futilidades foram abordados. O que me chamou a atenção foi ver “profissionais qualificados” dando opiniões ridículas, formais e ultrapassadas. A reportagem em si já era bitolante (na minha opinião), mas daí passar para o povo meios de o limitar, sufocar a liberdade de expressão e criatividade, seguindo regras sem sentido como se fosse a melhor forma ou opção para conviver em grupo, é inadmissível.
Através de matérias infelizes como esta em questão, percebemos a falta de consciência da maioria, a alienação. O ponto mais grave é o fato de que o brasileiro é facilmente manipulado e tem suas opiniões baseadas no que a mídia diz, não preciso dizer que tem exceções.
Filmes como “Clube da Luta”, “A outra historia Americana”, “O Pianista”, “Cidade de Deus”, “Coração Valente”, “Fahrenheit 11 de Setembro”, e livros, “Crime e Castigo”, “Dom Casmurro”, “1968 o ano que não terminou”, ou ainda músicas das bandas “Aborto Elétrico”, “U2”, “Legião Urbana”, entre muitos outros, deveriam ser obras para debate nas escolas. O povo precisa ter consciência!
As pessoas no Brasil (sei que não é um problema só do nosso país) precisam deixar de ser “maquinas programadas”, precisam largar os moldes que os oprimem, e se tornarem humanos, críticos e conscientes. Devemos fazer com que a mídia seja o nosso reflexo, é o povo que deve molda-la, e não o contrário.