segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Uma análise sobre Política


Hoje, após esta ultima eleição para Prefeito em todo o Brasil, podemos ver claro muitas coisas que antes não apareciam abertamente.
Por exemplo, vemos um “nepotismo” cada vez mais descarado. Kassab foi eleito devido a José Serra em São Paulo, como o próprio colocou no seu primeiro discurso como prefeito reeleito. Márcio Lacerda, aqui em BH, era um mero desconhecido da maioria, como apropriadamente disse a candidata Jô Morais: “Ele não seria eleito nem para síndico de prédio se não fosse o apoio de Aécio e Pimentel”; onde fizeram uma “Aliança” muito suspeita, e até podemos dizer desleal talvez, entre doze (12) partidos, cujo dentre eles houve a inédita parceria entre PSDB e PT. “Foi um milagre ter 2º turno”, como protestou o candidato Leonardo Quintão.
Vejam ainda o que acontece no aclamado “Marketing Político”. O agora (depois do episodio Mensalão) super famoso publicitário Duda Mendonça, em entrevista a Rede Tv, demonstrou uma básica estratégia usada por ele e por todos profissionais de sua área. Uma tática no mínimo covarde: Fazem uma pesquisa geral em toda cidade, com pessoas de várias idades e assim descobrem o que a maioria espera de um determinado político, ou cargo político.
Posteriormente colocam isso no programa eleitoral, com todo aquele falso “charme”, tendo a certeza de que a maioria agradará. Que deslealdade, não?! Acredite, isso é cotidiano.
Contudo, pôde-se ver um lado muito bom nessa ultima eleição. Mesmo com toda a “máquina” trabalhando para um determinado lado – em quase todos estados do Brasil onde houve 2° turno –, o povo respondeu nas urnas de forma contrária. Nenhum candidato favorecido ganhou de forma absoluta; mesmo com toda “manipulação” e força destes, as eleições foram acirradas.
Espero que o povo brasileiro um dia vote mais consciente, mais coerente, não se deixando levar por qualquer “propaganda enganosa”. A caminho já estamos, porém neste momento, o próximo passo é cobrarmos daqueles que lá estão.
Só assim aprenderemos a construir um futuro melhor.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Cidade de São João Del Rei


Não poderia deixar de relatar algo aqui sobre essa bela cidade.
A principio achei que talvez seria algo pessoal demais para se compartilhar, sem utilidade real, mas vejo que não.
Experiências boas devem sempre ser compartilhadas sim! Pois bem:

Não conhecia São João Del Rei e Tiradentes até então; lugares com tanta cultura deveriam ser mais divulgados.
Fui a trabalho, visitei todas as Escolas Estaduais por lá. Foram três semanas, mas não foram cansativas, hoje percebo que passou muito rápido.
Fico sem palavras para descrever tantas coisas que aprendi e vi ali; vejo as fotos, mas percebo que elas pouco dizem do que passei.
Foram tantas situações, tantos lugares, tantas pessoas (cada uma tão distinta), por sinal diga-se de passagem, o povo de São João é sempre muito prestativo, hospitaleiro e amigo. E não me refiro apenas aos funcionários das escolas não, mas a todos que tive o prazer de conhecer nesse período.
Sem citar nomes - pois são muitos e posso esquecer alguém - quero agradecer a todos vocês das escolas que passei, do hotel Colibri, dos comércios, dos museus e igrejas, cada amigo que ai fiz, cada um que tive o prazer de conviver. Obrigado.
E a você (que não tem nada a ver com isso, ne? rs) que está lendo o texto, visite também essas belas cidades, São João e Tiradentes.
Não estou ganhando nada pra fazer propaganda aqui, apenas sinto-me obrigado a mostrar essa bela parte de Minas que conheci. Falar um pouco mais do nosso povo e cultura, que muitas das vezes nem nos Mineiros conhecemos.
Quão bom foi esse tempo, até a próxima São João Del Rei!

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Lugar de Descanso


O sol está quente e brilha como nunca...
Mas não me queima, me faz sentir vida;

O ar leve, puro, carregado frescor das montanhas...
Posso tocar a paz, beber da sua água;

Não me pergunte onde estou, não sei...
Só sei que estou aqui, onde meu rosto quer sorrir;

O único som que escuto são os pássaros...
O que me toca é apenas a suave brisa na face;

Tamanha grandeza e pureza não se descreve...
Gostaria de dizer como me sinto,
Mas com palavras não sei;

Por quanto tempo ficarei aqui nesta terra intocável?...
Não importa, o tempo aqui não passa,
Dias parecem décadas inteiras;

Sei que acabará...
Assim que minha cidade urbanizada e confusa chamar.
Quando, finjo que não sei;
O importante é que aqui descansei.